Vivência: a Longarina e o Sagrado Feminino