‘Corrente do bem’ em tempos de pandemia é saída para manter saúde emocional

Esperança: confiança, espera, expectativa e fé.

Aguardar a ondulação ideal. Acreditar na cura e chegada de uma vacina. Desejar governantes honestos e ondas perfeitas. Confiar que sairemos deste buraco chamado pandemia, melhor do que entramos.

por Janaína Pedroso

Em tempos de isolamento e com feriado prolongado na capital, que promete aumentar a circulação de turistas no litoral (aliás, em Ubatuba, já se notam praias cheias e crowd na água. Até parece verão). É preciso manter a paciência e esperança alertas para não adoecer emocionalmente.

Desse modo, mensagens positivas não devem ser vistas como ingênuas, mas motivadoras. Algo que funcione como uma força motriz para superar o tsunami de tragédias que abate o Brasil, e infelizmente vai além de Covid-19. Muito além.

Instituto Ondas da Inclusão arrecada toneladas de alimentos em doação

Foram 6,5 toneladas de alimentos, 1.100 litros de desinfetante, 300 litros de água sanitária, 92 litros de sabonete líquido, 32 litros de álcool em gel e 400 litros de detergente.

Entrega na comunidade Recanto Familiar, no Humaitá. Divulgação.

As doações vieram das empresas Granado Pharmácias, RacingThePlanet, Speedo, Travessias e Desafios Aquaman, Movimento União Rio e do jogador de futebol Kayke Moreno.

Ao todo, 400 famílias atendidas e mais de 1.600 pessoas beneficiadas, todas moradoras de comunidades da Região Metropolitana do Rio de Janeiro (Rocinha, Tabajaras, Pavão, Pavãozinho, Cantagalo, Querosene, Vidigal, Dona Marta, Recanto Família, Quilombo Sacopã, Jardim Catarina, Marambaia e  Boa Vista, em Niterói e Miriambi, em São Gonçalo).

Equipe entrega cestas no Quilombo Sacopã (RJ). Divulgação.

Criado pelo empresário Flávio Brito para colaborar na formação social de jovens carentes, o Instituto atua desde 2003.

“A participação de todos os envolvidos tem sido incrível, já conseguimos ajudar muita gente, e seguimos com essa missão. A campanha segue, queremos alcançar ainda mais famílias”, diz Brito, diretor do Instituto Ondas da Inclusão. Para doar acesse: www.wavesforinclusion.org/doacoes

Projeto Afrosurfe, em Quilombo de Ubatuba, também recebe doações durante quarentena

A Yoface, marca paulistana ‘sem-gênero’, distribuiu, há cerca de um mês, alimentos para famílias de remanescentes quilombola, que vivem ao sul de Ubatuba. 

Criado por Ramon Soares, jovem morador do Quilombo da Caçandoca, o projeto Afrosurfe, aposta do surfe como ferramenta de inclusão e transformação.

Ramon realizando a entrega das cestas no Quilombo da Caçandoca, em Ubatuba.

“É muito bom receber ajuda, mas foi especialmente gratificante envolver as crianças na logística de distribuição das cestas às famílias. É notável a transformação das crianças que, ao passo que crescem, estão cada vez mais comprometidas com o bem-estar da comunidade”

Ramon Soares, 18 anos, morador da Caçandoca e criador do Afrosurfe.

Para contribuir com o Afrosurfe escreva para (12) 996 345 294 (Ramon Soares).

Autor: origemsurf

Compartilhe esse Post

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *