Filipe Toledo lava a alma da torcida brasileira e salva etapa mundial no Rio!

“Eu gosto de surfar sob pressão”, diz o vencedor do Oi Rio Pro 2018

Deu ruim pro Medina, mas antes de falar sobre isso, precisamos fazer um parêntese: que etapa sensacional foi essa de Saquarema!?! Altas ondas, sol, sucesso de público, e acredito de audiência. Foi lindo e como tudo que é bom dura pouco, já acabou!

Cinco dias de evento, e a etapa do Oi Rio Pro 2018 em Saquarema lava a alma dos brasileiros apaixonados pelo surfe. Se há dois anos era cogitada a saída do Brasil no tour, quando as etapas eram realizadas na nada empolgante Barra da Tijuca, hoje o país retoma a autoestima e mostra para o mundo: yes, we have good waves! (sim, nós temos boas ondas).

Depois de uma performance chocante, no mal sentido, Gabriel Medina deixa as areias do evento cabisbaixo. Não há memórias recentes que remontem o desempenho de Medina na bateria contra o australiano e novato no CT, Wade Carmichael. Acostumado a fazer levantar até defunto do caixão, dessa vez o fenômeno de Maresias deixou todos emudecidos, perplexos.

Por outro lado, o ultraveloz Filipe Toledo estava como se dizem os gringos, unstoppable. No bom português, incontrolável! Tubo, aéreos, rasgadas, laybacks. Toledo abusou das manobras progressivas, sem deixar de lado belíssimos e clássicos movimentos de borda.

Saquarema vai deixar saudade! Já que as ondas estavam perfeitas, possibilitando manobras e tubos. Afinal, o que mais um surfista profissional pode querer? Além de um tamanho consistente (1 a 1,5 metros com dias até maiores), um tubo profundo, uma pista para manobras, aéreas ou de borda?

Entre as mulheres, Stephanie Gilmore embarca para a próxima etapa em Keramas, Indonésia, com a lycra amarela e uma doce lembrança de Saquá. A atleta seis vezes campeã mundial era só sorrisos e postou um vídeo pra lá de cute (fofo) cheios de selfies e ao som da mais hippie de todas as hippies das cantoras brasileiras, nossa maravilhosa Rita Lee.