Com 2º título, já começam a surgir comparações entre Medina e Slater

Gabriel Medina é bicampeão mundial. A mesma comparação que se faz a respeito do futebol começa surgiu no surf (leia-se ‘surfi’). Assim como Neymar está para Pelé, Medina estaria para Kelly Slater?

O brasileiro pode não superar o número de títulos do norte-americano, que são onze, muito menos o atleta do PSG bater o número de gols marcados pelo ‘rei’ com a camisa da seleção (95 bolas dentro),  mas uma coisa é certa: o Brasil é o país do ‘surfi’.

Gabriel Medina é bicampeão mundial. Ele também é campeão da etapa de Pipe Masters. Antes que o leitor menos assíduo ao meio parafinado fique confuso, uma pausa.

O principal circuito mundial, carinhosamente abreviado como CT (Championship Tour), ocorre anualmente por meio de onze etapas ao redor do mundo. Através de um esquema de pontuação, em que vitórias valem pontos e dinheiro, o ranking é formado. Portanto, é possível ser campeão mundial, mesmo perdendo a final.

Porém não foi o que aconteceu dessa vez. Pela primeira vez na carreira, Gabriel Medina levanta o troféu de vencedor de uma das etapas mais importantes do ano. Não dá pra dizer que Pipe é a ‘A’ mais, afinal o que seria dela não fossem as outras dez? Nada, mas enfim isso não vem ao caso.

O que de fato importa nesta segunda-feira, 18/12/2018, é que Gabriel Medina existe, é bicampeão, e brasileiro…

Medina é bicampeão mundial com direito a um dez unânime.

Artigos relacionados

Gabriel Medina: obrigada por existir!

por janaína

Autor: origemsurf

Compartilhe esse Post

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *