O ser humano e a relação com animais marinhos. Por que é tão difícil entender que tartaruga não é enfeite?

Passeava feliz pela internet quando dei de cara com uma cena perturbadora. Uma criança sentada em cima de uma tartaruga marinha, posava enquanto alguém registrava o momento. Enquanto isso, outras pessoas observavam sentadas num barco desses que levam turistas pra lá e pra cá.

A cena era mais incômoda à medida que se via um pé sobre o casto do animal, possivelmente para assegurar que a tartaruga não se movimentasse, deixando a criança cair no chão.

Nunca compreendi muito bem a necessidade que o ser humano tem de tocar as coisas, como se observar não fosse suficiente, os olhos já não são úteis, é preciso tocar, pegar, apertar.

Visitei poucos aquários na minha vida e depois de trabalhar em um tive a certeza de que nada, absolutamente nada justifica o encarceramento animal.

A vida em cativeiro é triste, perturbadora e nenhuma lição de educação ambiental justifica tamanha crueldade.

O Urso e uma certeza

Quando criança, lembro de visitar um velho urso, que vivia em um velho Bosque, aprisionado em um velha jaula.

Diziam que ele havia sido resgatado de um tal Circo e que os “tratadores” praticavam todos os tipos de crueldade imagináveis para que o animam obedecesse às ordens, divertindo o público presente. Falavam que o Urso tinha enlouquecido e que aquela jaula era muito melhor que seu lar anterior. Não duvido, mas era triste observar aquele animal enclausurado, triste e louco.

São inúmeros os episódios dessa novela que parece não ter fim. Homens exibindo animais, matando, caçando e prendendo a troco de grana, status, poder. Eu te pergunto, até quando?

https://www.instagram.com/p/BsVeN_Xg_9f/

Depois dessa aberração, imagens para despoluir sua mente de tristeza

https://origemsurf.folha.uol.com.br/drone-captura-imagens-de-mulher-cercada-por-orcas/

por Janaína