Para muitos é um verdadeiro pesadelo o fenômeno popular que se transformou a modalidade. Isso porque, obviamente, se o surfe é pop, o crowd (multidão) é “coisa de louco”

por Janaína

Mas não tem chororô. Aliás, se serve de consolo, acredito que cerca de 20% das pessoas que começam a surfar se tornam realmente surfistas para a vida inteira. Acho que já falei sobre essa minha “tese” por aqui.

De quem é a culpa?

Há quem diga que Medina é o culpado ou as Olimpíadas, o OFF talvez? Brincadeiras à parte, na minha visão não há nada de errado com o surfe ser popular por aqui, muito pelo contrário. Oras, temos quantos quilômetros de costa com altas ondas?!

Aliás, não faltam exemplos onde a modalidade se tornou uma fonte de receita para determinadas regiões.

Entretanto, deixemos de lado o caso clássico da Austrália, que tem o surfe integrado à cultura como aqui temos o futebol. Mas, tomemos o exemplo de Portugal, que soube fazer do surfe algo economicamente rentável, uma espécie de “menina dos olhos”. Regiões como Peniche são hoje parte de roteiro internacional de surfistas espalhados por esse mundão.

Para isso, é certo que há de existir a profissionalização da modalidade. Uma das entidades que mais trabalha em torno dessa exigência é o Instituto Brasileiro de Surf (Ibrasurf).

“Há 21 anos nascia o Instituto a partir do lema “Educação através do Surf”. A ideia era mostrar que o esporte não era “coisa de vagabundo” e sim uma modalidade com um potencial incrível a ser explorado.”

Alexandre Zeni, fundador do Ibrasurf

Estilo, saúde e meio de vida?

“Vou largar tudo e viver de surfe, morar na praia…” Quem nunca sonhou em mudar o estilo de vida? Bem, eu mesmo sou exemplo disso.

Deixei o salto alto, as grandes agências, o mundo do glamour das fantásticas RP´s (sou muito grata, aliás). Mas hoje sou imensamente mais feliz.

A boa notícia: você também pode viver de surfe!

Entre os dias 02 e 05 de novembro o Ibrasurf vai sediar mais uma edição do curso “Instrutor de Surf e SUP”, na belíssima Itamambuca.

Eu não estou dizendo que você vai fazer as malas e se jogar amanhã, deixar o terno de lado e meter umas havaianas ou vender arte na praia. Estou te chamando para uma experiência, que quem sabe, a partir dela você consiga fazer algo diferente.

Eu vou virar instrutora de surfe. Vamos?

Abaixo mais informações e se você clicar na imagem acima já vai direto para a página de inscrição, no site do Ibrasurf.

Serviço

http://www.fluxexperiences.com.br/cursoinstrutordesurfesup/ocurso/

Telefone/ WhatsApp: (+55) 11 99551- 2006

 Email: instrutores@ibrasurf.com.br


Este conteúdo foi desenvolvido em parceria com a Ibrasurf.

Foto de Capa: Crowd em Waimea (Havaí).