A partir de ação inovadora, o surfista australiano Hayden Cox, em parceria com a marca de relógios suíços IWC Schaffhausen, lança prancha de surfe fabricada com materiais de descarte.

por Janaína Pedroso

Cox, que é embaixador da IWC, apresentou projeto em que mostra o processo criativo da linha “Haydenshapes”, que tem como objetivo fabricar pranchas de surfe sustentáveis.

Como resultado, o shaper mostra como tenta reduzir o impacto ambiental, por meio da transformação de resíduos, normalmente descartados (leia-se lixo), em componentes para pranchas de alta performance.

Queríamos aproveitar os resíduos que normalmente jogamos fora e criar
algo novo!

Hayden Cox
Reprodução Youtube

De acordo com o surfista, 30 a 40% da matéria-prima utilizada na fabricação das pranchas é descartada. Aliás, grande parte desse material é tóxico, inclusive.

A iniciativa de Cox foi motivada após visita do surfista à fábrica da IWC Schaffhausen. De tal forma que, enquanto esteve por lá, viu relojoeiros usando materiais residuais e se perguntou como poderia aplicar a mesma prática na produção de pranchas. 

Cox criou novo tecido com sobras de fibra de carbono e vidro. Foto Divulgação.
Resultado final: prancha sustentável.

Além de recriar um tecido, o surfista reutiliza a poeira de espuma e resíduos de resina bio-epóxi, para produzir acessórios como quilhas, por exemplo.

“Eu queria criar uma prancha que não produzisse lixo ou se produz, ao menos que pudesse ser reutilizado.”

A IWC Schaffhausen se juntou recentemente à iniciativa criada pela Fundação Ellen MacArthur , a “New Plastics Economy Global Commitment”, que visa a economia circular. Brasileiras como Natura, Positiv.A e Boomera (vencedora da 15ª edição do Prêmio Empreendedor Social, da Folha) também participam da ação.

“Vemos a sustentabilidade como parte integral do nosso futuro. Está no centro de tudo o que fazemos”, acrescenta a CMO da IWC Schaffhausen, Franziska Gsell.

Iniciativas brasileiras

Da mesma forma, com a mesma pegada inovadora, porém menos recursos, algumas iniciativas no Brasil apontam para mudanças significativas na fabricação de pranchas de surfe.

Em breve, o blogue vai contar a história de Filipe Blanco, brasileiro que realizou o feito da primeira prancha totalmente reciclada.

Quando comecei a trabalhar com outros shapers e ingressar em fábricas que produziam um número considerável de pranchas foi um choque. O negócio era sinistro, era muito lixo!

Filipe Blanco, designer, shaper e incansável pesquisador sobre iniciativas sustentáveis

Então, fica de olho na série de posts que o blogue vai trazer, sobre pranchas de surfe sustentáveis!