O Comitê Olímpico Brasileiro, COB,  anunciou na última quarta (11), que deve repassar mais de 150 milhões de reais, da Lei 13.756 (Lei das Loterias), às modalidades olímpicas, entre elas o surfe, em 2021.

Esportes que entraram no programa das Olimpíadas de Tóquio, como é o caso do surfe e do skate, deixam de receber apenas a verba ordinária e também serão avaliados pelo desempenho e qualidade da gestão, o que pode aumentar o repasse.

por Janaína Pedroso

“Pequenos ajustes foram necessários por se tratar de um ano totalmente atípico, mas mantivemos a coerência e, principalmente, a transparência”, disse Paulo Wanderley, presidente do COB.

O repasse dos recursos das Loterias para as modalidades esportivas baseia-se em doze critérios adotados nesse ano, sendo dez esportivos e dois de gestão.

Por conta da pandemia, foram necessários algumas adaptações nestes critérios, haja vista a ausência de eventos esportivos. Por exemplo, no critério “prestação de contas”, considera-se a melhor nota dos últimos dois anos (períodos selecionados: 01/10/2018 a 30/09/2019 e 01/10/2019 a 30/09/2020).

Vale lembrar que a entidade que recebe os montantes é a CBSurf, que já teve problemas com prestações de contas no passado, precisamente em 2018. Porém, em 2019 a entidade regularizou-se, atingindo inclusive o primeiro lugar do ranking do COB sobre prestações de contas.

Medina e Ítalo, dupla classificada para os Jogos Olímpicos, durante mundial da ISA. Foto Sean/ISA