A estreia do circuito mundial de 2021 finalmente está perto de começar. Depois de um ano perdido por conta da pandemia da Covid-19, o mundo do surfe de competição parece voltar aos trilhos.

por Janaína Pedroso

Se por um lado os homens terão uma espécie de retorno triunfal, já que estarão diante da onda mais midiática e desejada do planeta: Pipeline; por outro, as mulheres começam o tour na morna (se comparada à pipe) Honolua Bay.

Não é de hoje que existe a discussão em torno da ausência de mulheres em Pipeline. Considerada a onda mais ‘selvagem’ do circuito, o Pipe Masters é um evento exclusivamente masculino. Porém, já são várias as mulheres que têm nível técnico e ímpeto para surfar essa onda.

Então, o que mantém as mulheres à margem do principal pico de surfe do mundo?

Nível técnico, ‘go for it’, força física? Não acredito em nenhuma dessas questões. Em contrapartida, há em mim a nítida sensação de que ainda há ‘lugares permitidos’ para a presença de mulheres e ao que parece, Pipeline não é um deles.

Certamente, estamos falando de uma das ondas mais perigosas do planeta, e que coloca em risco também a vida de homens. Aliás, todos os anos, a cada edição do Pipe Masters, pipocam comentários em torno de surfistas homens que parecem amarelar para a ‘desumana’ Pipe. E não é para menos. Mesmo assim, ninguém discute se eles deveriam ou não surfá-la, então por que o fazem com as mulheres?

Outra questão que mina a confiança das surfistas é a própria postura cerceadora. Afinal, são anos afirmando que Pipe Masters não é ‘coisa de mulher’. 

Imagino que seria um espetáculo assistir Carissa, Stephanie, Tyler, entre outras nos salões azulados da onda mais espetacular do planeta!

Além das experientes surfistas, merece destaque a jovem Moana Ka´aeamoku Wong, que desde os quinze anos surfa Pipeline. Há dois anos familiarizada com a onda, Moana sonha poder participar do Pipe Masters um dia. 

“Adoraria fazer parte do Pipe Masters um dia. Surfar Pipeline é muito especial para mim. É muito desafiador ao mesmo tempo, mas eu amo. É viciante para mim. Eu fico feliz apenas de estar no outside, independente se eu pego uma boa onda ou não. Sou abençoada por Deus me manter segura e me dar as direções para que eu me conecte com o oceano!”, disse Moana ao blog.

Está mais do que na hora de as melhores surfistas do mundo finalmente serem parte do Pipe Masters.

Por fim, é inaceitável que ainda exista lugar demarcado e proibido a nós mulheres.

Moana Ka’aeamoku Wong é conhecida por dropar Pipe desde os 15 anos de idade. Reprodução Instagram.