Italo Ferreira surfou dezessete ondas durante sua bateria, na volta do circuito mundial de surfe, Rip Curl Newcastle Cup.

por Janaína Pedroso

Cerca de trinta minutos foram suficientes para apresentar um Italo faminto e muito mais veloz do que os demais atletas da competição.

Além de Ferreira, Filipe Toledo, Caio Ibelli, Deivid Silva, Miguel Pupo e Peterson Crisanto, ficaram em primeiro lugar e passaram para a próxima fase. Já o bicampeão mundial Gabriel Medina, Yago Dora e Alex Ribeiro, também avançaram direto para a terceira fase, mas ficaram em segundo lugar nas baterias. 

Apenas Adriano de Souza e Jadson André terão que disputar a repescagem.

“Foi uma bateria divertida, peguei um monte de ondas, tentei fazer o que eu queria e deu certo, então estou amarradão de ter passado em primeiro”, disse Italo Ferreira.

Quando perguntado sobre como se inspira para tantas manobras, Italo diz que até o automobilismo pode servir de inspiração.

“Algumas no skate, mas na Fórmula 1 também pra surfar rápido. Talvez tenha chegado a 200 por hora ali (risos). Foi só um pouco do que pode rolar nas próximas baterias, então vamos nessa e obrigado a galera pela torcida”

Com mar difícil foi preciso muita vontade para acompanhar a volta do mundial

O mar estava terrivelmente ruim. Assim, acompanhar o retorno do mundial não foi tarefa das mais prazerosas. Quem ajudou a salvar o dia, certamente, foi a presença dos brasileiros, e de John John Florence, sem dúvida! 

A bateria de Yago Dora também empolgou, à medida em que o brasileiro conseguiu virar o jogo nos minutos finais!

Com esse mar ruim é preciso muitos Italos para se manter acordada assistindo à volta do CT!

Italo Ferreira durante Rip Curl Newcastle Cup. Foto Cait Miers/World Surf League