Indígenas de Ubatuba, da aldeia Boa Vista do Prumirim, Ubatuba, permanecem em Brasília para acompanhar o julgamento sobre o marco temporal. A análise do processo está prevista para ser retomada na próxima quarta, 8. Porém, para que permaneçam em Brasília, os guaranis de Ubatuba aguardam doações para viabilizar a permanência deles por lá.

Em uma das maiores manifestações da história do país, indígenas de diversas partes do Brasil lutam contra retrocessos e pelo direito de permanecerem em suas terras.

“Sabemos que está difícil para todo mundo, mas precisamos mais uma vez contar com o apoio e as doações para permanecer em Brasília. É um momento muito importante para nós”, diz Luiza de Oliveira, que integra o grupo de manifestantes da aldeia Boa Vista de Ubatuba.

Para doar:

Pix: 34781040845
Caixa /poupança
Agência: 0798
Conta: 12158-6
Operação: 13
CPF:347810408-45
Luiza da Silva de Oliveira

Vídeo produzido pela equipe da aldeia Boa Vista

Live musical para arrecadar

A Banda Rezamor e o Coral Guarani da Aldeia Boa Vista de Ubatuba, com apoio da Casa Sumidouro e Gopala Filmes, reuniram-se no último mês para live musical transmitida no YouTube. Graças a união dos povos guaranis e a iniciativas como a live, os indígenas de Ubatuba conseguiram ir à Brasília.

Homens, mulheres e crianças da aldeia Boa Vista de Ubatuba. Arquivo pessoal.