Soberania brasileira em Newcastle contrasta com número irrisório de representantes mulheres do país em mundial

Sete brasileiros e um peruano, entre eles o líder do ranking (QS), Jadson André, estão entre os vinte e quatro classificados para disputar as oitavas de final

Embalado pela vitória em Noronha, o potiguar defende a liderança do circuito e com ele Deivid Silva, Caio Ibelli, Miguel Pupo, Alex Ribeiro, Krystian Kymerson e o novato Matheus Herdy seguem na disputa.

A vitória no tradicional Newcastle Surfest, que este ano é apresentada pela empresa do ramo da construção civil, a Holmes Civil Developments, dá ao vencedor seis mil pontos e 20 mil dólares para a conta.

Cadê elas?

Se no time masculino o Brasil vai de vento em popa, no feminino não dá para afirmar o mesmo. Depois da mudança recente de cidadania, ou melhor: da incorporação de uma segunda pátria para chamar de sua, Tatiana Weston-Webb segue solitária na disputa para creditar ao Brasil um possível título.

Outras duas participantes, Monik Santos e Taina Hinckel foram eliminadas na primeira e segunda fase, respectivamente. As derrotas escondem o fato de que, só por estarem ali, já deveriam ser consideradas vencedoras. Afinal, são três brasileiras entre 84 atletas.

Quem não surfa, ou não conhece bem o universo, pode até imaginar que não há surfistas mulheres capazes de representar o Brasil em mundiais da categoria.

Já quem acompanha o circuito QS feminino, e o esporte num aspecto geral, é capaz de perceber que o Brasil possui atletas tão, ou mais, talentosas do que grande parte das que participam dos eventos da divisão de acesso mundo a fora.

Uma pena que o mundo do surfe deixe de conhecer talentos como os de Camila Cassia, Julia Santos, Luana Coutinho, Kayane Reis, Yanca Costa, Larissa dos Santos, Letícia Cavalcante, Nathalie Martins, Jessica Bianca, Rayssa Fernandes e tantas outras. Surfistas que se tivessem tido incentivo desde cedo, não há dúvida, estariam brilhando nos circuitos mundiais.

Confira a galeria de fotos com as mulheres em ação no evento!

O evento está programado para recomeçar nessa quinta, logo mais, às 17h (horário de Brasília).

por Janaína

Créditos de imagem: WSL / Bennett / Divulgação.

Author: origemsurf

Share This Post On

Trackbacks/Pingbacks

  1. Soberania brasileira em Newcastle contrasta com número irrisório de representantes mulheres do país em mundial – IEB Org - […] (ou a falta dela) das mulheres brasileiras em eventos mundiais. … Leia post completo no blog Leia mais (03/14/2019…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *